Tanatopraxia, Necessário ou não ?

Após a realização dos trâmites para a realização de um funeral na Abil Grupo Unidas, o atendente vai te perguntar: – O (a) Senhor (a) deseja fazer TANATOPRAXIA na pessoa que faleceu? Mas afinal, o que é isso? Tenho mesmo que fazer? Ao ocorrer o falecimento de alguém, independente da enfermidade que o mesmo tinha, se faleceu em casa ou no hospital, a quantidade de contaminação e infecção alojadas no corpo da pessoa morta é de aproximadamente 70%. Daí então a real necessidade de se fazer a TANATOPRAXIA. Antes de tudo é importante dizer que não se trata de uma injeção, e nem retira nenhum órgão do corpo, bem como não é por ficar mais ou menos tempo no velório. Hoje é um processo necessário onde permite que o corpo do falecido, se mantenha em perfeito estado de conservação através desta higienização, que também resulta na desinfecção, assepsia e conservação, eliminando todos os micro-organismos presentes entre eles bactérias, vírus, fungos e vermes, combatendo odores, evitando vazamentos, e também retardando a decomposição que ocorre independente da causa mortis, recuperando a cor natural da pessoa falecida. Este mantém o corpo totalmente assepsiado, permitindo que a família que vem prestar sua última homenagem ao seu ente querido que se vai, possa tocar no seu ente querido com as mãos, acariciar, beijar e ficar próximo do mesmo sem nenhum problema ou
preocupação de contaminação, além de recuperar a cor natural e a aparência da pessoa dentro da urna. Importante destacar que a TANATOPRAXIA não se realiza pelo tempo de velório à ser feito mas sim, por uma necessidade de garantir aos presentes, um velório onde o netinho possa acariciar o vovô que se vai, ao filho de beijar a mãe e a esta a certeza de poder encostar seu rosto no rosto do filho e deixar seu carinho aquele que se vai para nunca mais voltar.