Novo teste para detectar Alzheimer

Um novo teste sanguíneo pode detectar com 90% de precisão se uma pessoa desenvolverá Alzheimer ou deficiências cognitivas leves nos próximos três anos, segundo estudo publicado pela revista científica Nature.
A pesquisa, realizada por um grupo de especialistas do Centro Médico da Uni versidade de Georgetown, nos Estados Unidos, detectou que algumas alterações ocorridas no sangue podem indicar se o paciente tem Alzheimer em um estágio inicial. Os pesquisadores examinaram 525 pessoas saudáveis com mais de 70 anos durante cinco anos e identificaram dez fosfolipídios – componentes da membrana celular – que poderiam ser empregados para apontar se os pacientes desenvolveriam deficiências cognitivas leves ou Alzheimer . Depois de várias comparações, os cientistas perceberam que aquelas pessoas que desenvolveram Alzheimer ou deficiências cognitivas leves tinham níveis mais baixos dos dez fosfolipídios.

Importância – Esta é a primeira pesquisa científica que demonstra que há diferenças nos biomarcadores de sangue entre pessoas que desenvolverão Alzheimer nos próximos três anos daquelas que não terão a doença. Os pesquisadores acreditam que o estudo permitirá a descoberta de tratamentos para essas enfermidades antes que elas se manifestem ou terapias mais efetivas quando a doença já estiver instalada.