Apnéia do sono

Cirurgia do Ronco

Pesquisas revelam que um em cada três adultos ronca durante algumas noites na semana, a maioria do sexo masculino com mais de 40 anos. Obesidade, aumento das amídalas e das adenóides, deformidades no nariz, fumo e alergias são alguns distúrbios que podem causar o ronco, assim como o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e refeições pesadas antes de dormir. Em alguns pacientes, o ronco é ocasionado pelo distúrbio denominado apnéia obstrutiva do sono. Nestes casos, as vias aéreas são obstruídas pelos tecidos da garganta, impossibilitando a respiração e resultando em roncos altos seguidos por períodos sem qualquer passagem de ar, que podem durar de 10 segundos a um minuto.
O tratamento mais indicado para o ronco até poucos anos era a traqueostomia, mas felizmente, com os aprimoramentos médicos, essa técnica foi substituída pela uvopalatofaringoplastia ou uvulopalatoplastia por laser e até, mais recentemente, por ondas de radiofrequência. A técnica consiste em uma cirurgia plástica da garganta, tendo como objetivo aumentar o diâmetro das vias aéreas e reduzir a vibração ocasionada pela passagem de ar. O resultado jamais será um êxito total se não houver um comprometimento do paciente em dar continuidade ao tratamento.